segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Dicionário "Caipiracicabano" 2

A cor da chita - Demonstração de sabedoria, filosofia cética. A expressão pode ser usada como sinal de dúvida ou de advertência. Nego, por exemplo, quando vai se casar, ouve, de quem é casado, o quase lamento: “Puis é... Agora é que ocê vai vê memo qual é a cor da chita.” Mas, na verdade, nenhum piracicabano sabe realmente que cor tem essa tal de chita.


A, ah? - Expressão cujo som não é possível de se reproduzir graficamente. É quase um a, a? , com o segundo a levemente aspirado. Usa-se o a, ah? como interrogação e, ao mesmo tempo, como interjeição de surpresa, exclamativa. Ex: quando se fala que alguém morreu, responde-se incredulamente: “a, ah?” Se se conta que aconteceu um terremoto, o “a, ah?” é levemente mais enfático. O importante é saber-se que o “a, ah?” não deve nunca ser confundido com o “ô, ô”, dadas as sutis diferenças entre um e outro. Somente a prática e o uso definem exatamente situações e circunstâncias em que se usa o “a, ah?”.

Abafá - Verbo, significando fazer sucesso, nada tem a ver com o corriqueiro verbo abafar em seus outros e diversos significados. O Presidente Lula, por exemplo, faz grande sucesso, com o seu refinado linguajar, entre os piracicabanos. Quando, por exemplo, Sua Excelência aparece na televisão, os piracicabanos se entusiasmam: “Oceis viram o Presidente? Hoje, ele abafô co discurso dele.” Para abafá, o nego tem que impressionar.

Abanhá os dente - Como se sabe, piracicabano é gente higiênica. E tem uma gloriosa Faculdade de Odontologia(Unicamp). Vai daí, professor da Odontologia tá sempre fazendo campanha junto ao povo: “Vamo lá, cambada. Ocêis têm que abanhá os dente treis veiz por dia, sempre despoi das refeição e antes de durmi.” Negadinha obedece: abanha os dentes, dá banho neles, escova, bochecha,coisas assim.

Nenhum comentário: