sábado, 5 de dezembro de 2009

O que vale é a intenção!!!


Piada de Gaúcho


Primeiro leilão de Porto Alegre.

Todos os machos da cidade estavam lá.

Quando o leiloeiro gritou:

- Quem da mais ?

Foi tanta confusão que levaram três dias para desfazer o mal entendido.

Dicionário Caipiracicabano 10

Arma de gato - Expressão filosófica. Como se sabe, gato tem sete almas, pelo menos em Piracicaba. Logo, pessoa com arma de gato é que não morre nunca, fantasma que fica por aí. Muié viúva de marido lazarento tá sempre sonhando com ele e reclama: “Aquele fiadiumcorno num morre nunca, tá sempre apareceno em meus sonho, o lazarento do arma de gato.”


Armá o laço - Para os ignorantes e não-iniciados no refinado dialeto caipiracicabano, armá o laço pode parecer coisa de tocaia, de traição. Não é nada disso. Armá o laço é o mesmo que amassá o barro ou sortá um barro. Ou seja, cagar. O uso do armá o laço, no entanto, é exclusivo da pessoa, questão íntima. Não se falava, por exemplo, que o Fernando Collor “armô o laço pro Brasil”., quando seqüestrou a poupança da negadinha. Naquele caso, a expressão foi cagar mesmo. “Eu vô armá o laço”, é a expressão correta de quem vai cagar, atender a necessidades fisiológicas.

Armoçá a janta - Atualmente, armoçá a janta não tem grande significado. Mas antes tinha. O Gregório Marchiori, com sua fama de garanhão, sempre era advertido por pai de namorada: “Mai ocê, cum minha fiinha do coração, tem que sabê: na minha casa num tem nada de ocê querê armoçá a janta. Ocê só come minha fia se casá antes.” Logo, antigamente, não era de bom tom armoçá a janta, ou comê a moça antes de casá. Quanto ao Gregório, ele ficou mais em jejum do que armoçô janta.

Arrancá o coro - Há dois significados para essa expressão. O primeiro, no sentido de bater. “Eu vô arrancá o coro dessa fiadaputa”, diz o marido traído em relação à sua muié infiel. Não arranca nada, mas promete. O sentido, pois, é de bater, fazer ameaça. O outro é de exploração, muito usado em relação ao comércio e comerciantes. Quando retornava da Europa, Luciano Guidotti, o mais famoso prefeito de Piracicaba, costumava dizer: “Óia, os treco que eles vende lá é morfioso de bão. Mai eles arranca o coro, puta merda.”

Arranca-rabo - Expressão que tem o significado de briga, confusão, desordem. É o mesmo que cu-de-boi, tedeo. Se nego chega em casa todo feliz, assobiando, a muié logo vai, insinuante, cheirar o cangote dele. Se o cheiro é diferente, a desgraçada avisa: “Agora ocê vai tê que expricá. Nói vai fazê um puta dium arranca-rabo que ocê vai vê.” E o arranca-rabo do cu-de-boi é ouvido pela vizinhança toda. É muito rara a noite em que não sai arranca-rabo nas pacatas noites caipiracicabanas.

Arranchá - Sinônimo de hospedar-se. Vem de rancho, um lugar. Hotel, casa da sogra, motel, palácio, todos esses são lugares de arranchá. Nelson Torres, em suas viagens pelo mundo, quando lhe perguntam onde irá se hospedar, fica irritado: “Hospedá? Num vô hospedá merda ninhuma. Vô arrancha num puta dium casarão que comprei ao lado do palácio do Rubinho Silveira Mello, adonde ele fica sempre arranchado.”

Arrastá seda - Não se trata apenas de uma expressão peculiar, mas de uma atitude. Arrastá seda pode ter o significado de puxar-o-saco. Nego que puxa-o-saco do outro tá arrastando seda. Há muito disso em Piracicaba. Quando nego pára com Mitsubishi à porta de restaurante, multidão de garçons aparece, para arrastá seda. Nego petulante, arrogante é, também, um arrasta-seda, o que transforma a expressão verbal em adjetivo. Por outro lado, basta estar bem arrumado para se ouvir alguém falar: “Nossa, onde se vai de ansim, arrastando-seda?”

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Computador dos sonhos


O Bebado e o Velório



Piada sempre é muito bom de ouvir

Principalmente quando é nova!

Pode ouvir...

Pode baixar...

Fique a vontade!!



Piada de Sogra





- Querido, onde está aquele livro 'Como viver 100 anos?'

- Joguei fora!

- Jogou fora? Por quê?

- É que sua mãe vem nos visitar amanhã e eu não quero que ela leia essas coisas!

Dicionário Caipiracicabano 9

Ara - É o mesmo que ora, conjunção. As pessoas usam o ara – ainda que no lugar de ora – especialmente quando estão aborrecidas. Marido, quando a muié insiste para ele voltar cedo para casa, responde: “Ara, vê se num me enche o saco.” Torna-se expressão de completo aborrecimento quando é usada concomitantemente com caraio. “Ara, caraio! Num me encha o saco!” – esse é o máximo dos protestos.


Ara, vá saino! - Expressão de dúvida, também de perplexidade, misturada com surpresa e aborrecimento. Quando o Presidente Itamar Franco substituiu a moeda, piracicabano falava, um para o outro: “Ara, vá saino! O tar do rear é o memo que o merréis.”

Araque sanfona - A palavra araque tudo mundo sabe o que é, a mentirinha. Mas araque sanfona, essa é mentira piracicabana. Não se sabe a sua origem. Mas é usadíssima. Marido, se a muié dele descobre algum enrosco, jura por Deus que tudo não passou de araque sanfona. Mas quem passou o araque sanfona, pode-se ter certeza, foi ele, na muié mãe de seus filhos.

Arcaide - Substantivo. Pode designar, indiferentemente, tanto a autoridade, o alcaide (antiga denominação de autoridade pública, prefeito), como o arcaico, com sentido de antigo. Prefeito de Piracicaba, quando passa pela rua, tem que estar preparado. Assim que é visto, a negadinha fala: “Óia lá, o arcaide. Vamo pedi emprego pra ele.” Por outro lado, num baile, por exemplo, se tem nega com roupa fora de moda, haverá sempre quem diga: “Óia lá, o vistido dela, como ela tá arcaide.” A confusão se dá quando se diz que o “arcaide é arcaide”. Deve-se entender, no caso, que o prefeito é ultrapassado.

Arco - Pronúncia caipiracicabana do substantivo álcool. Assim, não se deve estabelecer confusões: arco é álcool. O outro arco, segmento de curva, peça curva, é conhecido como meia-rodinha. Um antigo e famoso médico piracicabano, dr. Samuel de Castro Neves, costumava perguntar a seus pacientes: “Ocê num tá abusando muito do arco?” O nego respondia: “Num tô, dr.Samuer. Só bebo arco quando farta pinga.”

Arco da véia - Essa o mundo todo conhece, a coisa velha, coisa difícil de se acreditar. Quando aluno fica enchendo o saco do professor de História, este responde: “Se ocê quisé sabê coisa do arco da veia vá lá co prof.Haldumont, o Tiquinho, no Istituto Istórico, que ele conta tudo procê.”

Arfinetá - Provocar, cutucar. Marido piracicabano morre de medo, saindo com a esposa, que ela faça provocações que o embaracem. Por isso, avisa, antes de saírem: “Tudo bão, nói tá ino passeá. Mai se ocê arfinetá eu no meio da cunversa, juro bradeu que taco a mão na morfiosa de sua cara.”

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Curiosidade da Formula 1


* 605kg é o peso mínimo do carro com tanque vazio e o piloto dentro.

* 2kg é o que um piloto perde, em média, por GP.

* 352 toneladas de equipamentos são transportados para os GPs fora da Europa, por aviões de carga.

* 95kg é o peso de um motor V8 de F-1, um dos mais leves do mundo.

* O câmbio tem 7 marchas, mais a ré, raramente é usada.

* 2,6 segundos é o tempo que um F-1 leva para fazer de 0 a 100 km/h.

* 362 km/h é a maior velocidade atingida num GP atualmente.

* 2000 trocas de marcha são feitas durante um GP de Mônaco, o mais exigente para o câmbio.

* 19 000 rotações por minuto é o giro máximo de um motor numa corrida.

* 2 segundos é o tempo que um F-1 a 200 km/h leva até parar completamente numa freada.

* 20 000 km são percorridos por um F-1 por ano, somando testes, treinos e corridas.

* 25 botões estão no volante do carro, cada um para um comando específico.

* 55ºC é a temperatura média dentro do cockpit.

* 1000ºC é a temperatura do freio de F-1 quando exigido em seu limite.

* US$ 5000 é o preço de um único jogo de quatro pneus.

* 60 000 pneus são utilizados numa temporada.

* 80 funcionários por equipe comparecem em cada GP.

* 40 Tvs de plasma ficam nos motorhomes das maiores equipes.

* 40 quilômetros de cabos elétricos/eletrônicos fazem funcionar toda a parafernália de equipamento das escuderias.

* 100 quilos de macarrão são servidos nos boxes da Ferrari.

* 1800 pãezinhos são devorados no camarote da BMW, em cada GP.

Piada Zé Lezin




Pode ouvir essa piada dos "dois primos para o exército" ou pode baixar também



Piada de judeu



Um sujeito queria namorar a filha de um judeu e foi pedir ao pai. O velho disse:
-Acho que não vai dar certo, porque os judeus têm uma visão muito diferente da vida. Para provar que não estou com nenhuma discriminação, voulhe dar uma maçã e amanhã conversamos novamente. No dia seguinte ele voltou à casa do judeu que lhe perguntou:
-O que você fez com a maçã?
-Fiquei com fome e a comi.
-Tá vendo? Um judeu tiraria a casca da maçã, a colocaria para secar e faria um chá. Dividiria a maçã em quantos pedaços fossem os mebros de sua família e daria um pedaço para cada um. Depois pegaria os caroços, venderia alguns e plantaria outros, pois assim teria algum lucro e ainda frutos dentro de algum tempo. Bom, vou lhe dar outra chance. Leve este pedaço de linguiça e volte a falar comigo amanhã. O cara saiu de lá puto e pensando o que poderia fazer para aproveitar bem aquela linguiça. No dia seguinte a mesma pergunta:
-Filho, o que você fez com aquela linguiça?
-Bem, primeiro tirei o cordãozinho e fiz um cadarço para meu tênis. Depois tirei o plástico que protege a linguiça e o guardei. Dividi a linguiça em 8 pedaços e dei um pedaço para cada membro da minha família. Depois fiz uma camisinha com o plástico, comi sua filha e aqui está o 'leite' para o senhor fazer um cappuccino.

Dicionário Caipiracicabano 8

Angu de caroço - Quando as coisas ficam enroladas ou se complicam, diz-se que foi um angu de caroço. Ninguém sabe ao certo o que há de errado no angu que encaroçou. De qualquer maneira, não é boa coisa nunca. Quando marido é pego em flagrante com outra mulher, é inevitável que ele, desconsolado, comente com os amigos na Rua do Porto: “Ih, meu. Minha muié pegô eu. Deu um angu de caroço que vô te contá.” Se a confusão é ainda maior, o nego fala: “Ih, deu um puta dium angu de caroço que foi uma barbaridade.”


Antena paranóica - Há muita coisa da moderna tecnologia que ainda não foi muita bem compreendida na região de Piracicaba. A antena parabólica é uma delas. Por isso, para que o povo entenda melhor os benefícios da modernidade, os técnicos em televisão costumam anunciar, em placas colocadas à porta de seus estabelecimentos: “Instala-se antena paranóica”. Daí, a clientela toda entende.

Aotro dia - Obviamente, significa outro dia. Sempre que cobrador vai à casa do nego, nego geme, se lamenta: “Tô liso, meu. Ocê num passa aotro dia?” O cobrador concorda, volta. E o nego insiste: “Passe aotro dia, façuao favor.” Dona de casa, à noitinha, também geme: “Ai, ai, aotrodia de vida morfética e sem graça.”

Apartá - Verbo misterioso com dupla significação, incrivelmente oposta uma da outra. Dessa forma, pode significar separação ou proximidade, é mole? Quando há briga, há sempre alguém que grita: “Óia, eles tão se matano. Num tem ninhum fiadaputa prá apartá essa briga?” Nesse sentido, apartá tem o significado de separação. Mas pode, também, significar vizinhança, proximidade: “Nói mora apartado com a Igreja da Catedrar”, minha muié dizia, quando a gente morava perto da referida igreja. Os capivarianos, por exemplo, dizem que, morando em Capivari, eles moram apartado com Piracicaba.

Apeá - Conhece-se o apeá com o sentido de descer do cavalo, de por o pé em terra, desmontar. Em Piracicaba, é isso também, mas é mais do que isso. Apeá significa sempre descer, ir, estar em movimento. Quando se liga a um médico, chamando-o para uma emergência, o doutor responde: “Já tô ino até aí, já vô apeá já, já...” Uma jovem piracicabana tentou ser comissária de bordo de uma empresa de aviação mas foi despedida na primeira viagem. Falou aos passageiros: “Nesse instante, cheguemo em Maceió. Os passagero que for apeá aqui num esqueça a bagage de mão.”

Apitá - Não confundir com pitá, que se refere a fumo, cigarro. O verbo apitá era muito usado nos tempos em que se quadrava-jardim. As moças iam de um lado, os rapazes de otro. Se a moça voltasse o pescoço depois de o rapaz tê-la cortejado com olhares ardentes, o cortejador dizia”: “Ih, qui bão! Ela apitô pra mim”. Significa flertar, filá, aceitar a paquera. Está em desuso, pois, atualmente, não há necessidade de se apitá e nem de se conquistá. Tá fácil.

Apitô - Diferentemente do apitá, o apitô significa que a pessoa morreu, pode isso? Ocorre de alguém encontrar um velho amigo e perguntar pela senhora mãe dele. O outro pode responder: “Ocê num sabia? A véia apitô” Então, quem perguntou deve responder, questão de bom tom: “É memo? Intão, meus sentimento...”

Apitô na curva - Trata-se de expressão enfática, definitiva, insofismável de que a pessoa morreu mesmo. Usa-se quando se sabe que o nego ou a nega já estava doente, desenganada. Após a morte, fala-se: “Ih, num teve jeito memo! Ele lutô muito mai apitô na curva.” É a confirmação provada do óbito.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Curiosidade!!!



A bebida Coca-Cola foi desenvolvida a partir da fórmula de um remédio, tônico para os nervos, dosado pelo farmacêutico John Styth Pemberton em 1886 em Columbus, no estado da Geórgia, EUA. Recebeu originalmente o nome de Pemberton's French Wine Coca. Ele foi inspirado pelo sucesso formidável de um produto similar europeu de Angelo Mariani chamado Vin Mariani.

A bebida recebeu o nome de Coca-Cola porque originalmente o estimulante misturado na bebida era cocaína, que vem das folhas de coca, originalmente da Colômbia. A bebida também recebeu seu sabor de noz de cola. Hoje, o estimulante foi alterado para cafeína, mas o sabor ainda é feito através de noz de cola. A cocaína foi removida das folhas e a bebida não contém traços da droga. Era vendida originalmente como remédio por cinco cents o copo. Depois foi relançada como bebida leve. As primeiras vendas foram feitas na Farmácia de Jacob na cidade de Atlanta, em 8 de maio de 1886, e pelos primeiros oito meses apenas nove bebidas eram vendidas durante o dia todo. Pemberton anunciou a bebida pela primeira vez em 29 de maio do mesmo ano no Atlanta Journal.
Anúncio publicitário da Coca-Cola (1900).A princípio, o concentrado era embalado em pequenos barris de madeira, na cor vermelha. Por isso, o vermelho foi adotado como cor oficial da bebida. Até 1915, uma pequena quantidade de cocaína estava entre os ingredientes do refrigerante.
Asa Griggs Candler comprou Pemberton e seus parceiros em 1887 e começou a realizar uma campanha agressiva de marketing do produto. A eficiência destes anúncios não seria percebida até muito tempo depois. Pela época de seu 50º aniversário, a bebida já tinha alcançado status de ícone nacional americano.
A Coca-Cola foi vendida em garrafas pela primeira vez em 12 de março de 1894 e as primeiras latas de alumínio da Coca apareceram em 1955. O primeiro engarrafamento da Coca-Cola ocorreu em Vicksburg, Mississippi na Biedenharn Candy Company em 1891. Seu proprietário era Joseph A. Biedenharn. As garrafas originais eram garrafas Biedenharn, muito diferentes do visual atual de silhueta que as garrafas possuem. Asa Candler estava em dúvidas quanto ao engarrafamento da bebida, mas os dois empreendedores que propuseram a idéia foram tão persuasivos que Candler assinou um contrato dando-lhes controle total do procedimento. Porém o contrato tornar-se-ia ainda um problema por décadas para a companhia, devido aos seus termos um tanto falhos.
Um copo com Coca-Cola e gelo.Quando os Estados Unidos entraram na Segunda Guerra Mundial, os soldados americanos enviaram cartas para a Coca-Cola Company, pedindo que a bebida lhes fosse fornecida. Motivada com as cartas, a Coca-Cola desenvolveu "fábricas" móveis que foram enviadas para as frentes de batalha junto com técnicos da empresa, que garantiam a produção e a distribuição da bebida para os soldados. Apesar dos custos de produção na frente de batalha serem elevados, a companhia decidiu arcar com os mesmos, numa tática de marketing, vendendo o refrigerante pelo mesmo preço praticado nos EUA. Tendo em vista a sua associação com os produtos americanos e os Estados Unidos, ela acabou exercendo o papel de um símbolo patriótico. A popularidade da bebida aumentou bastante após a guerra, quando os soldados voltaram fazendo propaganda do refrigerante. Então foi lançado um tipo de embalagem que vendia 6 garrafas de coca-cola (sixposts), a qual se tornou preferida das donas de casa americanas.
Hoje em dia, são vendidas cerca de 40 mil latinhas e garrafas de Coca-Cola por segundo nos Estados Unidos. O produto é vendido em mais de 140 países.

Piada de Gaúcho




Um gaúcho, macho, ao voltar do trabalho, entrou no quarto de sua filha e se deparou com ela usando um vibrador. Indignado, o gaúcho falou:

- Baaaaah! Que é isto, guria? Que tri-sacanagem é essa?
- Ué, Papai, este é o meu novo marido. Não come, não assiste futebol, não deixa a meia jogada pelo chão e transa comigo na hora que eu quiser.
No outro dia, a filha entra no quarto do gaúcho e o encontra sentado no vibrador, com uma cerveja na mão.
- Baaaaaaaaaaaaah! O que é isso, pai? Que tri- viadagem é essa?
- Bah, tche, não posso nem tomar uma cervejinha com meu genro?

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Piada de Argentino


Um argentino e um brasileiro encontraram uma lâmpada mágica no deserto e a esfregaram, até aparecer o gênio. Ele disse:

- Vocês agora são os meus amos! Cada um de vocês tem direito a um pedido.
O argentino disse:
- Eu quero que você faça aparecer um muro bem alto em volta da Argentina, para que nada possa entrar, nem sair. A Argentina vai se tornar o país mais rico do mundo, pois ninguém vai poder entrar para cobrar a dívida, e o povo argentino nunca mais vai passar fome!
E o gênio:
-Que assim seja!
E, então, apareceu o muro.
- É a sua vez, brasileiro! - Disse o gênio.
O brasileiro perguntou:
- Tem certeza que ninguém pode sair de lá?
- Absoluta! - Responde o gênio.
- Então enche aquilo de água!

Piada de Portuga




Um português veio morar no Brasil, depois de muito tempo ele tirou uma foto no meio de dois cavalos e mandou para sua mãe em Portugal com um bilhete dizendo assim:




- Mãe, o do meio sou eu!

Dicionário Caipiracicabano 7

Amém nóis tudo - Se existe um povo de fé, este é o piracicabano. Da boca pra fora, pelo menos, o santo nome de Deus é invocado com muito fervor. E a solidariedade, se não sai pelos poros, está sempre na boca das pessoas. Quando se deseja, por exemplo, que tudo aconteça de maneira coletiva, basta dizer amém nóis tudo que, imediatamente, se sabe que as graças – ou desgraças – dos céus foram invocadas. Amém nóis tudo significa que a pessoa espera que aconteça, para todos, alguma coisa que se deseja ou que foi invocada. Por exemplo: quando se está numa esquina e alguém fala que a mulher de outro o está corneando, os que ouvem a novidade falam amém nóis tudo. Ou seja, que venha a nós a muié do outro. Quase sempre, dá certo


Amiga - Ora, amiga é amiga, em Piracicaba e em qualquer lugar do mundo. Mas, para piracicabano, amiga é um pouco mais do que amiga. Quando a moça, toda exuberante passa pelas ruas, há sempre alguém falando baixinho: “Sabe, ela? Ela é amiga do nosso amigo industriar...” Ser amiga soa mais requintadamente do que amante, amásia, concubina, o escambal.

Amigá - Em Piracicaba e região, quem não casa amiga. Segundo o coleguinha Aurelião, isso se usava no país todo. Mas, entre os piracicabanos, continua atual. Em dia de feira, o mulherio se reúne para atualizar o noticiário. Se um casal passa por perto, abraçadinho, sempre haverá uma mulher que pergunta: “Alá, aqueles doi. Eles tão casado?” E haverá, também, quem responda: “Que nada, quar o quê! Ouvi dizê que eles tão amigado.” Como, na região, as pessoas se dizem muito amigas umas das outras, essa amigação se generalizou.

Amordeu - Qualquer pessoa de fé sabe que amordeu é “por amor de Deus”. Quando muié vê marido, em casa, bebendo muito uísque ou cerveja, entra em pânico, telefona para a amiga: “Amordeu, invente quarqué coisa e venha buscá eu, amordeu.”

Andá cum ela - Se, quanto à situação acima citada, a amigação é uma realidade estável, há as realidades instáveis. Os casos entre amantes, os romances escondidos sempre são, de alguma forma, conhecidos do povo. Se o casalzinho, mesmo guardando segredo de seu romance, se encontra, por exemplo, na padaria, haverá sempre alguém que diga: “Tá vendo aqueles doi? Puis é, ele tá andando cum ela.” Ou seja, andá cum ela é ter um caso, um romance, mesmo que eles prefiram mais deitar do que ficar andando.

Andá de vião - É o mesmo que viajar de avião, que se deixar transportar por aeronave. Andá de vião causa uma inveja desgraçada nas pessoas. Quando o Juscelino Kubitschek viajava pelo Brasil todo para acompanhar obras de seu governo, o pessoal de Piracicaba sempre comentava: “Chiii, otra veiz, lá foi o home andá de vião.” No século 21, a coisa de andá de vião é com o Presidente Lula. Por outro lado, as secretárias dos executivos da região, quando estes estão em viagem, comunicam aos interessados: “O patrão foi andá de vião. Deve vortá daqui uns 15 dia.”