sábado, 12 de dezembro de 2009

Piada de Sogra



Certo dia a sogra resolveu fazer um teste com seus três genros para ver se eles realmente gostavam dela.


Ela chamou o primeiro para fazer um passeio de barco, fingi que cai no rio e o genro rapidamente pula na água e a salvou.

Quando ele chega em casa, abre a garagem e encontra uma Bmw novinha, com um bilhete em cima: "Da sua sogra que te adora! "

No outro dia foi a vez do segundo. Eles foram para o mesmo passeio de barco, a sogra fingi que cai no rio e o genro rapidamente a salva.

Quando ele chega em casa, abre a garagem e, novamente, uma Bmw novinha, com um bilhete em cima: "Da sua sogra que te adora! "

No outro dia foi a vez do terceiro genro. O mesmo passeio acontece, a sogra ingi que cai no rio mas o genro não a salva e ela morre.

No dia seguinte, ao chegar em casa, ele abre a garagem e encontra uma Ferrari, com um bilhete em cima: "Do seu sogro que te adora! "

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Piada de Judeu






O turco bebe uma cerveja no boteco quando uma mosca cai dentro do seu copo.




Ele pega a pobrezinha pelas asas, bate nela com um palito de dentes e grita:



-Anda, Cospe Tudo Que Você Bebeu, Sua Maldita!

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Seu Madruga










Piada de Portuga




Um Português abre uma filial de sua empresa de pregos em Roma, como propaganda, fez um out-door com a figura de Cristo pregado na cruz e embaixo estava escrito:

"Pregos Garcia - 2000 Anos De Garantia! "

Foi aquele rebuliço, o Bispo de Roma foi pessoalmente conversar com o Português, explicar que não podia fazer isso.

Então o Português resolveu fazer um novo out-door. Colocou Cristo com uma das mãos pregadas na cruz e a outra solta, dando Tchau.

Embaixo estava escrito:

"Adivinhe Em Qual Mão Foi Usado Prego Garcia? "

Meu Deus do céu! Até o Papa foi conversar com o Português:

- Assim não dá! Não pode usar Jesus Cristo como garoto propaganda. Invente outra coisa. . .

- Então vou fazer um novo out-door. . . . Pensou o Português.

Colocou a foto da cruz vazia e embaixo estava escrito:

"Se O Prego Fosse Garcia O Homem Não Fugia. . . . "

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Piada de Gaúcho



O gaúcho chega para o filho e diz:

-Por que choras, guri?

O menino, com olhos vermelhos de tanto chorar, olha para o pai e diz:

-Bah pai, o guri no colégio, olhou na minha cara e me chamou de veado, tche!

O pai, gaúcho dos pampas, enfurecido diz:

-Barbaridade, o guri te chama de veado e tu não faz nada? Por que não bateu na cara dele?

Diz o filho:

-Mas eu não podia pai!

-Por que não podia? O guri era grande?

-Não pai, o guri era bonito uma barbaridade!

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Michael Jackson






Michael Jackson chegou no céu e  comprou os Direitos autorais de Sergio Reis, Mas só pegou o "Menino da Porteira".

Dicionário Caipiracicabano 13

Assentá - Não tem qualquer referência a assento, a sentar-se. O verbo assentá se usa para indicar estado de espírito ou comportamento. A pessoa que assentô ou se tornou assentada nada mais fez do que se acalmar, ter bom comportamento. Mãe piracicabana costuma dizer, orgulhamente, de sua fillhinha recém-casada: “Ih, ela era espetaquera, fogueta. Agora qui casô, a minina apagö o fogo do rabo e assentô. Tem que vê que minina assentada que ela ficô.”


Assombrá porco - A origem dessa expressão é um mistério. No entanto, ela existe na refinada região caipiracicabana. Tem o significado de pedir que o outro não aborreça, não importune, não encha o saco. Quando a mulherzinha se chega toda doce e assanhada perto do marido, encostando o pé debaixo do lençol, o nego fala, com gentileza: “Vá, vá, vá.. Vá assombrá porco! Num vê que eu tô cansado?”

Assuntá - Verbo com diversas utilidades e sutilezas. Assuntá vem de assunto e significa informar-se, prestar atenção. Professora, quando vê a criançada distraída na sala de aula, vai logo advertindo-a: “Ô, negadinha, qué assuntá no que eu tô falano?” Pode, porém, ter o significado de bisbilhotar. Em motel, nego sempre pergunta, desconfiado, ao recepcionista: “Ocê garante que ninguém vai assuntá nói lá no quarto?” Usa-se com o sentido de averiguar: “Eu tô quereno assuntá se aquela muié tá a fins de mim...” E, também, no de compreender ou de não compreender. “Ocê assuntô no que eu falei?” – pergunta um. O outro responde: “Eu prestei atenção, mai ainda num assuntei nada.” Um verbo, portanto, eclético.

Até o cu fazê bico - Quase tudo que se faz em excesso, exageradamente. Quando se faz o que se fez excessivamente, diz-se que foi feito até o cu fazê bico. Colunista social, na gloriosa imprensa piracicabana, costuma comentar as grandes festas em clubes e salões sociais: “A negadinha comeu e bebeu até o cu fazê bico, de tão bão que tava.” Coisa fina.

Até parece - Expressão muito semelhante ao vê lá! A sutileza está na doçura, pois o até parece revela uma humildade e uma timidez menos agressivas do que o vê lá! Quando, em Piracicaba, se teciam loas para a Paula, enaltecendo-lhe a beleza, as suas qualidades como Rainha do Basquete, a doce Paula virava o zóio para o lado, fazia um biquinho, dizia: “Ai, que exagero! Até parece...”

Atentá - Os não iniciados em nosso refinado dialeto podem pensar que atentá significa estar atento, prestar atenção. Não é nada disso, merda nenhuma. Atentá é enchê o saco, infernizar a vida do outro, provocar. A doce mãe piracicabana dá, diariamente, gritos histéricos, querendo estrangular os filhinhos: “Num güento mai, ocêis só atenta eu, vai dexá eu loca, cambada de fiadiuncorno.” E o marido, chegando: “Seus fiadaputinha do caraio, qué pará de atentá sua mãe?”

Atrasero - Na região de Piracicaba, não existe pernil. O que existe – e com boa qualidade – é o atrasero. Dona de casa, sempre atenta, chega ao açougue e pede: “Óia, eu quero um atrasero. Mai dos bão, falô?” O açougueiro sabe tratar-se de pernil. Por outro lado, atrasero é, em algumas oportunidades, como se chama o bumbum das pessoas, especialmente de muié, óbvio. “Óia só que atrasero que ela tem.” – costuma-se dizer quando muié bunduda passa pelas ruas. Só que, neste caso, o atrasero não tem qualquer conotação erótica.

Áua - Ora, áua é água, quem não sabe disso? O poeta Lino Vitti tem versos imortais: “As áua de nosso rio era especiar. Tinha áua quente, áua morna, áua fria. Agora, as áua de nosso rio são um rebosteio só.”

Avaluá - Em Piracicaba, as pessoas nunca avaliam nada. Quando o fazem, avaluam. Quando a Belgo Mineira foi adquirir uma empresa da Dedini, o negócio estava complicado de sair. O Tarcísio Mascarim perguntava por quanto eles iam avaluá. Os nego da Belgo diziam que iam avaliar por tanto e mais tanto. Tarcísio se ofendia: “Num quero sabe dessa merda de avaliá. Ou ocêis avalua ou num avalua, pare de enchê o saco com esse tar de avaliá.”

Avuá - Tudo o que tem asas, avua. Piracicabano – como qualquer paulista – gosta de passear em aeroportos. É um programão ver “vião avuá”. Mas passarinho também avua, helicóptero também avua e assim por diante.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Piada de Gaúcho



A mocinha vai a Igreja se confessar:
- Padre, eu transei com meu namorado.
- Tudo bem minha filha, isso não é mais pecado.
- Eu sei, seu padre, mas eu também dei a bundinha.
- Bom... aí coisa muda de figura, eu vou até a sacristia verificar qual é a penitencia, e já volto.
Passaram alguns minutos..., e nada do padre voltar...!
A garota começou a ficar preocupada com a penitencia e saiu do confessionário.
Nesse meio tempo,entra um gaúcho macho, de Pelotas, para se confessar.
O padre volta e não percebendo que a garota havia saído diz:
- Deixe-me ver aqui na lista..., a pena para quem dá a bundinha é 100 Pai-Nossos e 50 Ave-Marias.
E o gaúcho responde:
- A pena até que é justa...,mas bah, tchê, vai adivinhar assim na puta qui pariu!!!!!

Piada de Judeu

O judeu morreu e chegou no céu:

Logo que chegou ao céu, o judeu começa um diálogo com Deus:

- Meu Deus, o que é para o Senhor dois mil anos?

- Um minuto. - responde Deus.

- E quinhentos mil reais?

- Dez centavos.

- Senhor, dai-me dez centavos!

- Claro, meu filho... espere um minuto.

Dicionário Caipiracicabano 12

Arva cidrera - A conhecida erva cidreira – tão gostosa, de se fazer chás calmantes – não existe na região de Piracicaba. O que existe é a arva cidrera. A mesma planta com nome diferente. Supõe-se que se pensou ser alva cidreira o nome verdadeiro da planta. Isso explicaria a sua transformação morfológica, pois alva, em Piracicaba, se transforma em arva. Mas piracicabano está errado: o nome é erva cidreira e não alva cidrera. Logo, arva cidrera e erva cidreira são a mesma coisa. No referido acidente da Paula, o médico que a atendeu lhe receitou: “Dexe de frescura, muié. Tome um chazinho de arva cidrera e isso passa logo.”


Ascançá - É o mesmo que está no coleguinha Aurélio: alcançar. Pai e mãe piracicabanos fazem tudo para os filhos ascançá alguma coisa na vida. Desde pequenos, as crianças são orientadas: “Ocêis tem que saí em coluna sociar pra ascançá posição sociar; tem que estudá na Unimep pra ascançá diproma de dotor.” E completam: “Quem espera sempre ascança.”

Às dereita - Expressão indicativa de direção, no sentido da direita. Instrutor de auto-escola costuma indicar aos alunos, aprendizes de motorista: “Ande sempre às dereita; naquela esquina, vire às dereita.” Por outro lado, como às dereita indica rumo, fala-se, por analogia, que muié honesta sempre anda às dereita, ou é muié às dereita. Todo marido gosta de assegurar, jurando: “Minha muié pode sê uma fiadaputa de uma encrenquera, mai ela é uma muié às dereita.”

Às esquerda - Obviamente, se às dereita indica o sentido da direita, às esquerda indica o da esquerda. “Naquela otra rua, ocê vire às esquerda” – fala o já citado instrutor de auto-escola. Estranhamente, no entanto, muié desonesta nunca é muié às esquerda.

Asfarto derretido - Não se trata de referência ao asfalto propriamente dito, ao macadame. Piracicabano se orgulha de não ser preconceituoso, de não cultuar preconceito de raça, religião ou cor. No entanto, pessoa da raça negra pode, eventualmente, ser chamada de asfarto derretido. Assim, patrão é capaz de, eventualmente, falar para seu empregado negro: “Óia aqui, seu negro sujo, fiadaputa. Ocê é um asfarto derretido, eu passo ni cima docê.” Depois, gosta de explicar que foi maneira carinhosa de dizer as coisas.

Assá batata - As pessoas sábias e experientes sabem quando as coisas não vão dar certo. Então, dizem: “Vai assá batata.”, como se fosse o fim-do-mundo. Quando o Presidente da República anuncia qualquer plano de desenvolvimento, os sábios piracicabanos comentam no jardim: “Esse tar de prano num vai desenvorvê bosta ninhuma, vai assá batata.” Em Brasília, ninguém entende a visão dos sábios piracicabanos.

domingo, 6 de dezembro de 2009

Curiosidade Sobre a Cerveja



OS 10 MAIORES MITOS SOBRE CERVEJA


Cerveja normal ou light - As cervejas light têm em geral entre 90 a 100 calorias, contra as menos de 200 calorias das convencionais. Um amante de cerveja diz que a diferença é a mesma entre comparar um McDonalds com um Restaurante 5 estrelas. Os que buscam uma vida mais saudável e estão acostumados com dietéticos e light, dizem que a diferença é imperceptível. Portanto, a menos que você beba 300 cervejas por semana, opte por uma cerveja boa e convencional, nada de light.

Quanto mais escura é a cerveja, mais álcool contém - Nem sempre. A cerveja Guinness, por exemplo, é preta, e tem 4,2% de álcool. A cor da cerveja vem do malte torrado, o que não representa nada no teor alcoólico. Já os demais componentes são responsáveis pelo álcool, mas não influenciam na cor.

A cerveja fica com o gosto ruim se esquentar e gelar novamente - pode acontecer caso a cerveja passe pelo processo de gelar/descongelar por muitas vezes. Mas muitas pessoas acreditam que o gosto fica esquisito quando se gela uma cerveja que já foi gelada e voltou à temperatura normal. A cerveja pode estragar com o ar, a luz e o tempo. A temperatura não estragará sua cerveja a menos que seja extrema.

As cervejas dos EUA têm menos álcool que as demais - Algumas pessoas notam uma diferença no rótulo, sobre o teor alcoólico das cervejas comercializadas nos EUA. Os americanos usam a média de álcool por peso, enquanto os demais países adotam o padrão de álcool por volume. Uma vez que a cerveja pesa menos que a água, as cervejas americanas apresentam números menores, mas não menos álcool.

A cerveja Guinness servida na Irlanda é melhor - O processo de fabricação da cerveja é de baixo custo, então porque essas marcas arriscariam sua reputação ao fabricar cerveja diferente para exportação? Não faz muito sentido, e não é verdade. Com raras excessões, a cerveja exportada é exatamente igual à local. A única diferença é o frescor devido ao tempo gasto na exportação.

A cerveja não deveria ser amarga - O amargo da cerveja vem de um componente (presente em todas cervejas) responsável pelos maltes doces e que age como conservante. Algumas cervejas têm mais (como a India Pale Ales) e outras têm menos, caso da Wheat Beer.

As melhores cervejas estão nas garrafas verdes - as garrafas escuras (em geral marrons) protegem muito mais a cerveja da luz do que as claras (verdes ou transparentes). O mito surgiu depois da Segunda Guerra Mundial, quando os europeus consumiam cervejas importadas que eram produzidas e envasilhadas em garrafas verdes devido à escassez local.

As cervejas da Tailândia contêm formaldeído - Acredita-se que as cervejas fabricadas em Singha contêm na fórmula formaldeído. A explicação mais aceitável é que as cervejas fabricadas em Singha contêm muito mais álcool e são muito mais amargas. Quando soldados americanos ou ingleses bebiam na Tailândia, ficavam bêbados com maior facilidade e muito mais rápido do que costumavam, além de sentirem um amargo muito mais intenso. A explicação sugerida é que continha formaldeído em sua fórmula. Loucura.

A cerveja Corona é urina mexicana - Durante a década de ‘80, surgiu um rumor de que trabalhadores da fábrica de cerveja Corona (bem popular nos EUA) estavam urinando nos tanques das cervejas destinadas aos EUA. Certamente seria, no mínimo, desagradável, se fosse verdade. Mas como todo mito, isso causou transtornos para a fábrica - sua popularidade foi diminuindo entre os consumidores de cerveja americanos e quem se beneficiou com isso foi a Heineken. Peraí, e onde a Heineken entra na história? Ela foi a responsável por espalhar o rumor (aconteceu um caso similar a este aqui no Brasil, envolvendo a Coca-Cola e a Dolly). O responsável da Heineken admitiu a concorrência desleal e a Corona teve sua popularidade em alta novamente. Mas esse rumor é espalhado até hoje por todo o país!

Mulheres não gostam de cerveja - Quem será que inventou isso?! Algumas mulheres bebem muito mais do que homens. Há milhares de casos em que a mulher agüenta beber muito mais do que o homem.

Quem lembra do GOOGLE 1965


Piada de Portuga



O navio chegou do Brasil no porto de Lisboa, e desce o Manuel morrendo de rir. Seu amigo Joaquim que estava o esperando, pergunta:
- Posso sabeire porquê estas a rir tanto??
E o Manuel soltou:
- Brasileiro é mesmo um povo muito bobo, acreditam em tudo, é um povo muito fácil de enganar.
- Porque estas a dizeire isto Manuel???
- Imagines tu que eu menti pra um brasileiro que era viado, ele acreditou e veio me comendo a viagem toda!! 

Piada de Portuga

ATENTADO TERRORISTA EM LISBOA


O terrorista português, Manuel de Almeida, tentou derrubar ontem um arranha-céu no centro de Lisboa.
Consequência: 1 morto, o terrorista

Dicionário Caipiracicabano 11

Arre! - Piracicabano é, antes de mais nada, nego culto, com curtura pra mai de metro. O grande caipira Amadeu Amaral conta que, no Auto da Barca do Purgatório – do glorioso português Gil Vicente – já existia a expressão “arre!”. Em Piracicaba, arre! É o mesmo que num encha o saco, um clássico da linguagem inculta e bela. Marido, quando muié lhe enche o saco, berra: “Arre, muié! Pruquê ocê num vai peidá n’água inveis de me inche o sapicuá?”


Arribá - Doente piracicabano nunca sara, arriba. Nos chás do Club da Lady, o principal assunto da muierada são as doenças dos maridos, quase todos com mais de 45 anos. Uma lady pergunta à outra: “E seu marido, como tá aquele morfético?” E a outra responde: “Puis é... O morfético do meu marido tá do memo jeito, cuitado. Pegô uma morfiosa diuma gripe e num tem jeito de arribá.” Só que, fora de casa, os maridos estão todos, geralmente, arribados.

Arrodeá - É o mesmo que rodear, dar voltas. Só que arrodeá tem algumas características próprias. Pode ser: proteger-se, cercar-se. Usineiro da região vive arrodeado de segurança. E, morrendo de medo de seqüestro, sempre pergunta à negadinha: “Tem nego arrodeando nói?” Outros preferem tá arrodeado de muié. E muié bonita fica sempre arrodeada de hóme. Coisa bunita de se vê.

Arrodeá Catedrar - No entanto, pode servir para um passeio novo em Piracicaba, festa das festas: arrodeá Catedrar, coisa nova, do começo do século, moderníssima. Foi um escândalo de promoção: “Vamo fazê reforma da praça centrar, vamo fazê.” Abriram umas duas ruazinhas e o povo parmeô o Prefeito (V.parmeá) : “Oba, oba... Agora nói podemo arrodeá a Catedrar.” Ou seja: fazer a curva, dar uma voltinha em torno da praça, passeio turístico. (V. rodeá)

Artero - Essa palavra pode ser, conforme o uso e sentido, substantivo ou adjetivo. As pessoas que se dedicam às artes, por exemplo, são artera. Nas escolas, ensina-se, para ilustrar, que “Van Gogh foi um puta dium artero, um dos maior da humanidade”. E isso é elogio. Por outro lado, uma criança é sempre artera, com suas traquinagens. Mãezinha piracicabana, quando jovem, costuma dizer, de seu filhinho: “Ah! ele é um fiadaputa dium artero.” Trata-se, também, de elogio de mãe, para o filhinho traquinas, engraçadinho.

Arto - Pronúncia piracicabana do adjetivo alto. Não há nada, na região de Piracicaba, que seja alto. Tudo é arto. Quando nego se suicida, atirando-se do Salto de Piracicaba, o povo comenta: “Ele se pinchô lá do arto do sarto.” Por outro lado, basta observar mais atentamente para se ver que a maioria das muié de Piracicaba anda tudo de sarto arto. Por outro lado, o nego pode tá arto sem que isso tenha alguma coisa a ver com a sua própria altura. “Ih, hoje tô arto”, diz o neguinho que amarrô o fogo, que se embebedou.

Arto do pioio - Como se sabe, pioio é piolho, segundo o refinado dialeto caipiracicabano. Arto do pioio significa o alto da cabeça, a parte superior dela. A Paula, rainha do basquete, quando chegou a Piracicaba, estava treinando e bateu a cabeça. O médico do time lhe explicou: “Óia aqui, Paula, isso num foi nada. Ocê só levô uma batida no arto do pioio.” Paula ficou indignada, respondeu: “Eu bati a cabeça, dotor, o senhor num tá vendo? “ Com o tempo, a Paula entendeu.