terça-feira, 7 de junho de 2011

Piada de Casal

Carta de um marido dedicado, enquanto sua esposa viajava para a Europa em trabalho:

- Querida, está tudo em ordem durante sua ausência.
Estou preparando meu próprio almoço. Está dando tudo certo.
Ontem fiz batata frita. Ficou bom. Era preciso descascar a batata?
Fui buscar uns brioches na padaria e quando voltei o esmalte da
frigideira tinha soltado e ela estava toda derretida. Inclusive o cabo.
E você que me dizia que o teflon segurava qualquer coisa . . .
 Quanto tempo precisa pra cozinhar ovos? Já deixei eles fervendo lá
duas horas, mas continuam duros que nem pedra. Bom vou aguardar um
pouco mais. . .
 Semana passada tive um contratempo cozinhando as ervilhas. Decidi esquentar a lata no microondas e ele explodiu. A lata decolou feito um foguete, atravessou o teto e acertou a filha do seu Freitas, nosso
vizinho de cima. Ela foi parar no pronto-socorro. Ainda bem que eles tinham plano de saúde.
Já aconteceu contigo de a louça suja criar mofo? Como é possível isso acontecer em tão pouco tempo? Aliás, atrás da pia tem de tudo que é bicho, daqui a pouco vai dar pra fazer um documentário e vender
pro Nacional Geografic.
Durante o último almoço eu emporcalhei o tapete persa com molho de tomate. Você sempre me dizia que mancha de molho de tomate não sai. Bobinha! Com um pouco de querosene não tive problema algum. Saiu tudinho, inclusive a cor do tapete.
A geladeira estava criando muito gelo, então tive que fazer um defrost nela. O gelo sai fácil se você raspa ele com uma espátula de pedreiro! Ficou ótimo, foi fácil e rápido, agora a geladeira não sei porque está aquecendo. De toda forma, a carne ficou bem passada.
No mais, na última quinta-feira quando sai para o trabalho esqueci de trancar a porta. Alguém deve ter invadido nosso apartamento porque estão faltando alguns objetos de valor, inclusive aquele colar de
marfim que seu bisavô trouxe da África. Mas como você sempre diz, o dinheiro não traz felicidade, e tudo que é material é efêmero. O seu guarda-roupa também está vazio, mas acho que não devem ter
levado muita coisa, afinal você sempre diz que nunca tem nada pra vestir.
Beijos mil, com muito carinho, do seu querido:
Afonso.

Ps: Sua mãe deu uma passada aqui pra ver como estavam as coisas. Sofreu um infarto. O velório foi ontem à tarde, mas preferi não te contar pra não te aborrecer à toa.    

Nenhum comentário: